26 maio 2017

13:08

Últimos Doramas #1

design: canva

O título desta série de posts é "últimos doramas", mas na verdade este primeiro post será mais de "os doramas que vi até agora", porque ainda vi pouquinhos (ao contrário da Aléxia que, sem exagero, já deve ter visto uns 100). Mas os próximos posts da série serão legitimamente sobre os 'últimos', sim? Até porque eu planeio ver muitos mais doramas do que já vi até agora, porque doramas são vida. <3 Já agora, podem explorar um pouco a minha lista de doramas no meu MyDramaList.



• The Master's Sun

Primeiríssimo dorama que eu vi na minha modesta vida, e mudou-a por completo. Apaixonei-me por este dorama e pela ideia de ver doramas em geral. Não é genial, mas eu adorei-o do fundo do meu coração. É sobre uma moça que vê espíritos, depois de ter estado em coma, e que tem medo deles. E sobre um CEO milionário que é arrogante e frio. O que os liga é o facto de que, quando ela toca nele, os espíritos desaparecerem, então ela passa a... bem, a persegui-lo. Só que ele não acha muita piada a isso, então a coisa desenvolve-se daí. É engraçado e adorável em partes iguais, com alguns pequenos sustos e fantasmas feios pelo meio. Ainda hoje eu adoro tudo o que sejam doramas onde esteja a atriz principal - aliás, o meu dorama favorito de todos os tempos é com ela (ámen Seul Gi).

• Surplus Princess

Segundo dorama que eu vi e, não é tão bom quanto o anterior, mas é ótimo para quem quer ver algo leve e engraçado. É uma espécie de adaptação (muito) cómica d'A Pequena Sereia, só que em vez de um príncipe, temos um chef de televisão; e em vez de ela ir para o palácio dele, vai trabalhar com ele. Ah, também existe wifi debaixo de água, só para que conste. Em cima disso tudo, ainda temos uma casa cheia de gente (muito doida) e a minha segunda atriz favorita (que também entra em quase todos os doramas de que eu gosto...).


• Flower Boy Next Door

Com a gloriosa Park Shin Hye (a Aléxia fez um post com as melhores personagens da Park Shin Hye, porque a Aléxia é apaixonada por essa atriz desde que eu a conheço como gente), este é daqueles doramas agridoces que também são cómicos. Temos uma revisora editorial que tem fobia social, um vizinho bonito que ela gosta de vigiar (cof cof stalker cof) e o irmão desse vizinho que a apanha com a mão na massa. E a história desenvolve-se a partir do momento em que  esse irmão (Henrique) apanha a moça e decide que quer fazer-lhe a vida negra.


• Marriage Not Dating

Se há dorama que se encaixa mesmo, mesmo bem na categoria de comédia romântica, é este. É sobre um mulherengo e a ex-namorada do amigo desse mulherengo; também é sobre a família dele, que exige que ele se case rapidamente. Então, junta-se ao útil ao (des)agradável e esses dois decidem fazer de conta que estão noivos para se libertarem das gentes chatas. O problema é que eles, bem... não se suportam. É cliché, mas é realmente engraçado, garanto.


• Ex Girlfriend Club

Outra comédia romântica, mas esta é um pouco mais desastrosa. Isto, porque o senhor escreveu um filme inspirado em todas as suas ex-namoradas, e a realizadora vai ser uma delas. Mas rapidamente as outras todas descobrem e vêm tirar satisfações. Depois, decidem que querem todas ter uma parte na realização do filme, e vira o caos. Tem algum drama expectável, mas, fora isso, é cómico.


• The Time We Were Not in Love

Não é dos meus favoritos, mas é fofinho. A típica história dos melhores amigos que se incomodam com os namorados um do outro, até perceberem que na verdade estão apaixonados (e que prometerem jamais se apaixonarem um pelo outro). Tem um desenvolvimento interessante.


• It's Okay, That's Love

O meu dorama favorito de todos os tempos e duvido que alguma vez venha a ser destronado. É com a atriz de Master's Sun e, um ano depois de o ter visto, a banda sonora ainda me faz quase lacrimejar. Também tem o Do dos EXO, o que é importante referir. É sobre um psiquiatra e um escritor, e uma série de pessoas com várias tipos de doenças psiquiátricas, e sobre a amizade do escritor com um jovem descalço. Mais ou menos a meio tem um plot twist descomunal - do tipo que nos faz chorar as pedras da calçada. Todo o desenvolvimento é absurdamente interessante e ele agarrou-me mesmo muito. Além disso, tem a melhor banda sonora que já ouvi num dorama desde sempre e, como eu já disse, ainda hoje ouvir as músicas me faz emocional.

• EXO Next Door

Um dorama super pequenino, com os membros dos EXO. Os EXO mudam-se para uma cava nos subúrbios durante os tempos e a sua vizinha é uma mega fã, mas também é mega tímida. Entretanto, a mãe dela é a dona da casa para onde eles se mudaram, e obriga-a a ser a empregada de limpeza deles. O problema é que Chanyeol é meticuloso e arrogante (tudo a ver com o Chanyeol verdadeiro, #sóquenão), e a maioria dos outros membros são apenas desarrumados e adoram provocá-la. É sobre um Do fofinho e meigo que se torna amigo dela, um Sehun um tanto idiota que se torna amigo do irmão dela, e sobre uma grande confusão no meio disso tudo. Tem poucos episódios e cada episódio só tem 15 minutos, por isso vê-se bem. É ótimo para quem quer conhecer o EXO, apesar de alguns membros (como o Chanyeol) serem diferentes da realidade. Mas dá para ir aprendendo os nomes. Ps: é com os EXO 9, e não com os EXO 12, infelizmente. *cries*


• She Was Pretty 

O dorama que me deu a conhecer aquele que é, agora, o meu ator favorito. E, também, o dorama que me deu a conhecer o cabelo mais bonito do mundo, que pertence a esse dito ator (antes de saber o nome dele, eu e a minha irmã chamavamos-lhe "o senhor do cabelo bonito"). É sobre dois amigos de infância e que não se vêm desde pequenos e se reencontram, só que com um grande senão: em pequenos, ela era bonita e ele era 'feio'. Agora, os papeis inverteram-se e ele tornou-se num moço bonito e de sucesso, e ela uma moça 'feia' (#sóquenãoné) e desamparada. Quando se reencontram, ele não a reconhece e ela decide manter a sua identidade em segredo. Entretanto, ele torna-se o patrão dela, e ela passa a ter muito trabalho em evitar que ele descubra quem ela é. Ah, também tem o Siwon dos Super Junior, que é excêntrico e adorável, e a minha personagem favorita.


estas classificações são completa e absolutamente pessoais, refletindo a minha opinião e não as classificações oficiais.


19 maio 2017

10:37

Um dia eu gostava


Um dia, gostava que um desconhecido se aproximasse de mim e me dissesse "Está tudo bem, vai tudo ficar bem", e depois fosse embora. Ficaria para sempre na minha memória como aquele desconhecido que melhorou o meu dia. Como aquele senhor que me contou piadas e trocadilhos na paragem de autocarro, sem nunca me perguntar o nome ou dizer o dele, e depois entrou no seu autocarro e foi embora. Ou como aquela senhora que meteu conversa comigo durante a viagem, sobre a faculdade e as coisas, e me falou de como foi no seu tempo, mas também nunca trocámos os nomes e ela saiu na paragem antes da minha.

Um dia gostava que um conhecido me perguntasse o nome, e depois passaríamos a conhecer-nos a sério. Talvez ficássemos amigos, ou talvez não, e nem precisávamos de voltar a falar, mas eu ficava a conhecer um pouco melhor alguém, e alguém passava a conhecer-me um pouco melhor a mim.

Um dia eu gostava de encontrar uma mensagem entre os livros da biblioteca. Gostava de deixar outra em resposta. E ter uma conversa inteira com bilhetinhos rasgados e rabiscados, naquela prateleira esquecida da estante. E nunca iria conhecer a outra pessoa, ia ser como um pen pall, mas mais divertido.

Um dia eu gostava que os meus amigos me arrancassem de casa e me arrastassem para o comboio, e me levassem à praia de madrugada. Que me atirassem à água, me atirassem areia, me tirassem daquelas fotos desprevenidas e bonitas em que só quem se está a divertir consegue ficar bem. Depois podíamos deambular pela costa, apanhando pedrinhas e conchinhas, inventado histórias e fazendo planos para o futuro. Daqui a cinco anos vamos aqui voltar. Daqui a uma semana vamos ao rio. Daqui a duas horas vamos comer um gelado.

Um dia gostava de me apaixonar a sério, por alguém a sério, e ter um romance a sério. Não precisa de ser perfeito, apenas a sério. Não precisa de ser saído de um livro de Nicholas Sparks, apenas ser a sério. Ele não tem de ser maravilhoso, nem incrível, nem saído dos meus sonhos, apenas tem de ser a sério. Sem ciúmes, sem regras, sem terceiras partes nem silêncios. Apenas ser a sério.

Um dia gostava de ter coragem de ir ter com algum desconhecido e começar a conversar. Conhecer muitos desconhecidos, até deixarem de ser desconhecidos, absorver um pouquinho das suas vidas na minha. Tentar preencher um pouco o meu vazio com aquilo que transborda das outras vidas. Ter um novo contacto no telemóvel, que não vai ficar só guardado e vai ser usado.

Um dia gostava de conseguir ser eu. Não precisar de ser arrastada para a praia, nem reunir coragem para conversar, nem sonhar com o desconhecido e com o que devia ser conhecido. Não ter de levantar-me sozinha de todas as vezes que caio e não ter de seu eu a sacudir o pó da minha roupa. Poder beber e beber sem medo de não chegar a casa, e chorar e chorar sem medo de sair de casa.

Um dia gostava de poder eliminar toda esta solidão, toda esta podridão na minha alma, que vai e vem e volta e retorna, mas nunca fica e nunca desaparece, e me faz deambular pela vida como se não fosse minha. Ganhar poder sobre mim própria, preencher este vazio e iluminar esta escuridão.

Um dia gostava, eu um dia talvez possa, completar todos estes sonhos e toda esta vida, e apagar esta dor da minha alma.


12 maio 2017

11:47

10 Coisas Para Ler Quando Não Há Nada Para Fazer #3





Entre as resoluções de ano novo de muita gente, ou as recomendações médicas de muitos outros, "começar a levantar cedo' é uma das mais determinadas. Contudo, encontrar motivação, enxutar o sono e reunir força de vontade são a parte mais dificil dessa decisão. Por isso, aqui estão dois posts que podem, e vão, ajudar a encontrar o que falta.


Sobre conhecer mulheres incríveis, com histórias incríveis, e o contributo delas para o desenvolvimento pessoal desta blogger.


3. Tendências Criativas para 2017, por Sernaiotto
A Arte também segue tendências, não apenas a Moda. E logo no início do ano começaram a surgir previsões do que 2017 nos iria trazer; contudo, a Sernaiotto fez uma compilação interessante delas e partilhou.


Resenhas bonitinhas sobre esses dois doramas. Se ainda não viram, vão ver. Eu ainda não vi nenhum desses doramas, mas esses posts intensificaram a minha vontade de ir fazer maratonas.


Para uma dash mais fotográfica e menos vazia, ou para inspiração.


6. Ideias para 2017, por The Sad Girls Club
Porque não, né?


7. Template Simplicity, por Dezoito Primaveras
Eu não sei quanto a vocês, mas eu apaixonei-me por esse layout!


Sobre ter um Bullet Journal.


9. Não nasci para selfie, por Abra a Janela
Para quem não sai bem nem nas selfies.


Aqui em casa, temos algumas dicas sobre edição de fotos.

Ainda não é suficiente? Podes ver aqui mais 5 coisas para ler quando não há nada para fazer.


08 maio 2017

22:34

GIVEAWAY - Limão doce + A Bijuteira (Terminado)



Olá, queridos Limonetes! Para começar bem o mês de Maio, o Limão Doce está a oferecer, em parceria com A Bijuteira, uma carteira muito fofa e super primavera/verão.

Para se habilitarem a ganhar têm apenas que cumprir os requisitos:

Limão Doce:

 Seguir o Limão Doce no blog e no Instagram (@lemaodoce)
 Deixar like na página do Limão Doce (@lemaodoce)
 Partilhar este post publicamente e marcar duas/ois ou mais amig@s

A Bijuteira:

 Seguir no Instagram d'A Bijuteira (@abijuteira)
 Deixar like na página d'A Bijuteira (@bijuteira)

Importante!

 E não se esqueçam de preencher o formulário abaixo, para validar a participação!
O sorteio será feito por um sorteador online, nomeadamente o Random.org e o vencedor será contactado no espaço de uma semana, tendo, posteriormente, mais uma semana para responder com os seus dados para envio. Caso não haja resposta dentro desse prazo, será feito segundo sorteio a partir dos concorrentes já inscritos.
 O concurso é apenas para quem reside em Portugal Continental. Caso o vencedor tenha ignorado a regra e nos envie a morada fora de Portugal, iremos escolher o segundo vencedor.





Vencedora: Flávia Miranda

05 maio 2017

13:06

Faculdade: E agora? #9 • 5 Coisas que Estudantes de Multimédia estão Sempre a Ouvir


Este post faz parte de uma série.Para leres outros artigos com o mesmo tema, acede a Faculdade: E Agora?


1. Consegues arranjar-me o computador, tu que percebes dessas coisas?

Nós percebemos de Photoshop, Illustrator, Premiere e Loghtroom. Isso não é o mesmo que perceber de computadores. A minha área é a artística, não a tecnológica propriamente dita. Porque usamos computador para 90% do nosso trabalho não significa que sejamos engenheiros informáticos.


2. Uau, sabes fazer um site. Consegues hackear o Governo?

Não, não conseguimos hackear o Governo, porque 1) É ilegal; e 2) Esse não é exatamente o tipo de programação em que a nossa área se foca. Sim, podemos aprender um pouquinho de programação mais ou menos desse género - dependendo do curso específico -, mas não é bem esse o nosso foco. O nosso foco é, como bem dizem, fazer um site. E saber criar um não é sinónimo de saber invadir um. Lamento desapontar-vos, mas não creio que no futuro possam dizer que conhecem alguém dos Anonymous e esse alguém seja eu.

Photo: PicJumbo 

3. Ah, é muito caro, o sobrinho da avó do meu primo faz-me isso de graça.

Primeiramente, não é caro - o que na verdade está a pagar é a nossa formação, as horas de estudo e trabalho, e os mínimos de competência e conhecimento. O sobrinho da avó do seu primo talvez faça de graça, mas as probabilidades de, no futuro, isso sair caro porque tem de mandar um profissional corrigir ou substituir são elevadas. 


4. Eu também tenho o Photoshop e sei fazer umas coisas, mas... *inserir aqui o resto*

Tudo nesta frase me deixa confusa, por isso não sei bem como responder a isso. Tem o Photoshop, e daí? Muita gente tem. 'Mas' o quê? Não sabe trabalhar com ele? Não quer aprender? Apenas gosta de dizer que o tem? Qual é a relevância dessa informação; está à espera que eu lhe faça um tutorial passo a passo de como fazer esse 'mas' transformar-se num 'e sou muito bom'? Ter Photoshop transforma-o automaticamente num designer? Eu realmente não compreendo, expliquem-me. (Nota: Isto é muito diferente de "Eu também sei trabalhar no Photoshop" vindo de quem efetivamente sabe)

5. Eu consigo fazer isso no Word/PowerPoint.

...


E na vossa área de estudo, quais são as coisas que estão sempre a ouvir?


Este post está muito relacionado com um outro post que pode ser do vosso interesse: Coisas que Fotógrafos estão fartos de ouvir
.

28 abril 2017

10:00

Porque é que eu escrevo

Desig. Canva

Breves linhas servem para escrever um mundo inteiro. Na caneta de um poeta, em versos. Na caneta de um romancista, em parágrafos. No pincel de um artista, num retrato. Brevemente, sucintamente, resumidamente. Não é necessário escrever uma dissertação de três volumes para expressar o que nos vai na mente. "Menos é mais" pode ser o melhor amigo de todo o escritor.

É frequente aceitar o equívoco de que, para escrever bem, é preciso decorar o dicionário de A a Z e usar vocábulos absurdamente complexos e vibrantes. Como já disse, é um equívoco. A qualidade da escrita reside na emoção que passa ao leitor, na capacidade do escritor colocar uma imagem na mente de quem lê. É o dom de usar as palavras, não de as complicar.

Aborreço-me profundamente quando me deparo com descrições muito complexas, de página e meia, com muitos palavrões pelo meio que só atrapalham a compreensão do texto. Acho que um texto simples, mas com uma boa colocação das palavras, é muito mais interessante e agradável. Mas, claro, isso é preferência estética e literária minha e não uma regra universal.

Portanto, meus colegas aspirantes a escritores, deixo-vos a minha dica: menos dicionário, mais sentimento. Sim, um vocabulário diverso e bem conhecido é muito importante. Mas a escrita tem mais a ver com sentimento do que com linguística. Por isso, toca a SENTIR!


Disclaimer

Todos os conteúdos aqui apresentados têm os direitos reservados aos respetivos autores. À partida, todos os textos neste blog são da autoria de Rafaela Silva, Aléxia Oliveira e Mónica Simão, exceto em referência contrária, e não devem ser reproduzidos, adaptados ou copiados de forma alguma sem consentimento prévio. Todas as fotografias com marca de água de Rafaela Silva ou RS Fotografia e Design têm os direitos exclusivos de Rafaela Silva. As fotografias com a marca d'água de Lemao Doce ou Limão Doce pertencem exclusivamente ao blog. E todas as imagens não assinaladas pertencem aos respetivos autores e provavelmente virão de sites dedicados a imagens de stock (ver: 'Recursos')
Com tecnologia do Blogger.

Seguidores

Google+ Followers

Instagram